domingo, 19 de junho de 2016

MAD MAX - ALÉM DA CÚPULA DO TROVÃO (George Miller & George Ogilvie/1985)

O cinema de ação "maluco beleza" de Miller é como uma fonte que não pára de jorrar alegrias. A cada instante surge uma imagem estonteante, uma concepção visual bizarra, uma perseguição de ranger os dentes. Os diálogos se mantêm básicos e escassos; o enredo compartilha essa mesma qualidade lacônica. Mestre dos estímulos sensoriais (apoiado pela música de Maurice Jarre e pela fotografia de John Seale), Miller privilegia o movimento, o ímpeto, sem cair na armadilha da montagem caótica. Nesta terceira parte da saga de Max Rockatansky, a mais esperançosa de todas, ao elemento cômico é dado proeminência, coincidindo com a freada na violência gráfica e a introdução de um grupo de sobreviventes mirins, provando que a ampliação de foco por alguns criticada em Estrada da Fúria tinha antecedente na própria franquia. [18/3/16][Info

Um comentário:

  1. Considero o filme mais fraco da série. Da trilogia original, apesar de ser aquele que teve maior orçamento, considero que a narrativa lenta deixa a desejar. Falta ação, o que por exemplo tem de sobre em "Estrada da Fúria"

    Abraço

    ResponderExcluir