terça-feira, 20 de setembro de 2016

Rapidinhas

A Travessia (Robert Zemeckis/2015): melhor catalogado como "baseado em fatos reais" do que como biografia, pois pouco revela sobre a vida interior do protagonista além do fato de ele ser quase suicidamente determinado. Cheio de floreios cômicos que beiram o preciosismo e uma bateria de efeitos visuais que talvez convençam mais na telona do cinema do que na televisão, o filme ainda assim proporciona um entretenimento ligeiro empoderado por um clímax ao qual é difícil ficar indiferente. 

A Escolha de Sofia (Alan J. Pakula/1982): decepcionante ler durante anos coisas promissoras sobre uma obra de pedigree cujo chamariz seria a oscarizada performance de Meryl Streep e descobrir que a personagem dela, na verdade, é subordinada ao processo de amadurecimento de um jovem insosso de nome ridículo. Sofia e sua sofrida história de sobrevivência no Holocausto servem de escada para inspirá-lo a escrever um livro, viver mais intensamente e perder a virgindade. No lado positivo, a fotografia de Nestor Almendros, a música de Marvin Hamlisch e a sensível interpretação de Streep. 

6 comentários:

  1. Me disseram que, no cinema, A Travessia foi um dos melhores lançamentos do ano passado, mas pelo seu review parece apenas um filme 'correto'. Ainda assim vou assistí-lo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Certamente é um filme pensando e feito para ser visto no cinema - e em 3D. Que nem 'Gravidade' e 'Avatar'. O impacto sensorial dele é destroçado na telinha. Mas não pude vê-lo na telona, e deu no que deu.

      Cumps.

      Excluir
  2. Ainda não assisti "A Travessia".

    Já "A Escolha de Sofia" é um filme um pouco arrastado, que ficou marcado pela famosa cena da escolha, uma das mais cruéis da história do cinema. O filme envelheceu mal, sua fama é maior do que a qualidade.

    Abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pior é que vi o filme sem legenda e não entendi nenhuma das cenas não faladas em inglês. :(

      Cumps.

      Excluir
  3. A Travessia é mais um ótimo exemplo da técnica de Zemeckis (Mas gosto mais de O Voo deste seu retorno ao live action).

    "Sofia" é certamente o melhor momento de Streep na telona. Se bem que... ela é maravilhosa em todos os filmes que atua (um fã suspeito em lhe dizer isso...)

    Abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também prefiro O Voo, mas gosto mais do Zemeckis dos tempos de Contato e Forrest Gump.

      Cumps.

      Excluir