quarta-feira, 28 de setembro de 2016

PAVOR NOS BASTIDORES (Alfred Hitchcock/1950)

Sinopse: Jane resolve ajudar o amigo Jonathan, acusado de matar o marido da amante, a atriz Charlotte. Para isso, ela se infiltra na vida da atriz como governanta, tentando provar que Charlotte é a verdadeira responsável pelo crime.

De cara, tiremos a pedra do caminho: não há pavor algum neste thriller, contrariando o título brasileiro, nem qualquer susto, a despeito do batizado original (Stage Fright). O roteiro volta-se à espionagem amadora e a um triângulo amoroso; quem ansiar pela tensão de Janela Indiscreta ou Psicose ficará entediado, mesmo que seja pego de surpresa na armadilha da reviravolta final. O ponto forte é o elenco - o alívio cômico de Alastair Sim, a desfaçatez de Marlene Dietrich e a versatilidade de Jane Wyman. O comando de Hitchcock sobre o espaço cênico mostra-se brilhante como sempre. Se o resultado fica aquém do panteão do diretor, a culpa deve ser creditada ao enredo mundano. [23/3/16] 

4 comentários:

  1. Hitchcock disse uma vez que um dos problemas principais do filme é aquele falso flashback no começo que ele se arrependeu. Ademais, concordo que é um bom Hitch, mas só. Pelo menos não é um desastroso e mais entediante "Topázio", pra mim, a única falha do mestre!

    Abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não vi a filmografia completa do Mestre, mas 'Topázio' certamente é o pior dentre os que vi até o momento...

      Cumps.

      Excluir
  2. Este é um Hitchcock que ainda não conferi.

    Também não vi "Topázio". Dos que assisti, o que menos gostei foi "Cortina Rasgada".

    Abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tentei ver esse e, sem paciência, desliguei logo. Fica pra outra vez...

      Cumps.

      Excluir