quarta-feira, 14 de setembro de 2016

O CONDENADO (Carol Reed/1947)

Sinopse: Na Irlanda do Norte, um homem planeja um grande roubo para ajudar a sustentar a organização clandestina da qual é o líder. Durante o assalto, ele é ferido e não consegue fugir com os outros membros do grupo. A polícia então arma uma grande operação para capturá-lo.

A abertura sinaliza um thriller político, envolvendo um grupo de nacionalistas irlandeses armados que cometem um malfadado assalto a fim de alimentar os cofres da organização (o IRA, presume-se). Passada cerca de meia hora, o filme revela sua verdadeira face: uma parábola cristã ecoando a via-crúcis, na qual a agonia do líder dos revoltosos, ferido, inspira o melhor e o pior no numeroso elenco coadjuvante. Em termos de estilo, O Condenado se apresenta como um claro precedente de O Terceiro Homem, desde a edição ágil indicada ao Oscar até as tomadas de sombras em movimento projetadas em paredes. O diferencial a torná-lo único reside na inclinação do roteiro ao transcendentalismo - aquele termo associado pela crítica a obras de Bresson. Ação, suspense e tragédia fazem-se presentes, mas têm na consciência seu campo de atuação. 

Um comentário: