terça-feira, 30 de agosto de 2016

O RETRATO DE DORIAN GRAY (Albert Lewin/1945)

Sinopse: Homem faz pacto com o diabo para que seu retrato envelheça, enquanto ele continua jovem. À medida que ele se afunda numa vida de abusos, o retrato fica cada vez mais distorcido. Baseado no romance de Oscar Wilde.

Um dos filmes P&B mais esplendorosamente fotografados de todos os tempos. Harry Stradling ganhou o Oscar por iluminar cenários detalhados, sob verniz realista e foco profundo - evitando o excesso artificial de seus futuros musicais coloridos -, permitindo que a penumbra marque presença estratégica no quadro, fornecendo uma aura gótica em determinadas cenas, condizente às correntezas de agouro e maldição a permear a trama. O papel-título é vivido por um ator cuja inexpressividade talvez seja intencional, afinal trata-se de um aristocrata que renunciou aos sentimentos - à alma - em troca da juventude eterna. Quem temer a presença de discursos moralistas acerca do triunfo do caráter sobre a busca da satisfação pessoal estará se preocupando à toa. Uma fantasia madura, sofisticada em termos formais e temáticos, de mensagem atemporal. [28/3/16] 

3 comentários:

  1. Falha minha, Gutavo...é não ter assistido esta versão!
    Preciso consertar isso. Agora a curiosidade veio com tudo depois de seus comentários. Revi recentemente aquela versão com Ben Barnes e Colin Firth que é legalzinha. Produção redondinha e bem produzida. Enfim, amo a criação de Oscar Wilde e continua sendo a obra mais fascinante sobre imortalidade. Dorian Gray me causa excitação e arrepios. A série "Penny Dreadful" também o retratou muito bem, embora tenha sido intenção fazer um híbrido com vários personagens góticos famosos numa nova leitura.

    Abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tudo que li sobre 'Penny Dreaful' soa interessante. Infelizmente, não tenho como ver séries. Ou não as vejo, ou sacrifico os filmes.

      Cumps.

      Excluir
  2. Eu jamais assisti alguma versão da história de Dorian Gray.

    A única vez que vi o personagem no cinema foi como coadjuvante no fracassado "A Liga Extraordinária".

    Abraço

    ResponderExcluir