domingo, 17 de julho de 2016

MIDNIGHT SPECIAL (Jeff Nichols/2016)

Se Super 8 reproduzia os ingredientes populistas que tornaram produções spielbergianas o maior sucesso nos anos 80, Midnight Special presta um tributo soturno e introspectivo primeiro ao John Carpenter que nos legou Starman e, depois, ao Spielberg de Contatos Imediatos do Terceiro Grau. Semelhanças propositais em enredo e música à parte (o tema principal da trilha poderia ter sido assinado pelo próprio Carpenter), a sensibilidade do filme pertence a Nichols, o que deverá agradar aos fãs de O Abrigo e Mud.

A devoção dos pais ao filho dotado de poderes paranormais é a mola propulsora da interação entre os protagonistas, à qual a narrativa se subordina - a ação e o suspense são, na melhor das hipóteses, incidentais. A porção inicial do filme logra transmitir uma intensidade promissora devido à expectativa gerada pela acumulação de mistérios não resolvidos; a partir de certo ponto, as coisas vão se aclarando e a previsibilidade, aumentando. Lento e modesto, indicado aos proponentes da escola "menos é mais" na área da ficção científica. [Info

6 comentários:

  1. Muito interessante, acho que é uma boa dica agora que terminei Strange Things. Não quero sair da vibe dos anos 80 hehehe

    ResponderExcluir
  2. Como citei na minha postagem sobre o filme, gosto do cinema de Nichols, mas este longa é um pouco inferior a seus trabalhos anteriores. Meu preferido ainda é "Amor Bandido" (Mud).

    Abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Há expectativa de que Nichols retorne à forma com "Loving", que já foi elogiado em Cannes e está cotado ao Oscar...

      Cumps.

      Excluir
  3. Assisti e gostei. Porém, quando os mistérios em volta do garoto começaram a clarear, o filme infelizmente perdeu um pouco de sua maior qualidade. A capacidade de prender minha atenção nos eventos que ocorrem em tela. Uma pena. Também não é o filme preferido de Nichols.

    abraço

    ResponderExcluir