sexta-feira, 29 de abril de 2016

ACORDES DO CORAÇÃO (Jean Negulesco/1946)

Melodrama romântico carregado, antiquado - e por isso fascinante. Os glamourosos close-ups em soft focus de Joan Crawford provam que certos recursos de outrora exerciam um encanto sem paralelo no estágio atual da técnica cinematográfica. Pode-se queixar da grosseria egoísta do violinista de John Garfield no tratamento à amante ou do irritante humor cínico de Oscar Levant em cenas que não exigiam sua presença; o espectador teria razão de indagar se o tempo gasto nas performances musicais repetitivas infla a metragem desnecessariamente. Ressalvas à parte, a qualidade da produção - em particular, da fotografia - salta à vista e a intensidade dos conflitos íntimos da matrona alcoólatra de Crawford impede que o filme seja descartado como frugal. [Info][14/3/16] 

Um comentário:

  1. Não sou grande fã destes melodramas românticos antigos e este por sinal eu não assisti.

    Abraço

    ResponderExcluir