quarta-feira, 23 de março de 2016

Um Lance no Escuro. Arthur Penn, 1975. "Thriller" (sim, as aspas são propositais) policial no qual um detetive particular não particularmente brilhante acaba descobrindo mais sobre si mesmo do que o caso para o qual foi contratado. Há quem o catalogue como neo noir - a trama rocambolesca de final desconcertante alinha-se às convenções do subgênero. Natural supor tratar-se de um suspense existencial penetrante na linha de A Conversação, lançado no ano anterior. Ledo engano: a ambientação é ensolarada, a música nem tenta propiciar um clima de paranoia, a fotografia parece pouco distinta, a direção prima pela leveza, despretensiosa. Típico exemplo de expectativa equivocada. O desafio: avaliar a obra pelo que de fato é, não pelo que desejava ou achava que fosse. 

2 comentários:

  1. É um filme mediano, não está entre os melhores de Arthur Penn.

    A curiosidade é ver Melanie Griffith ainda bem jovem.

    Abraço

    ResponderExcluir