quinta-feira, 17 de março de 2016

Regressão. Alejandro Amenábar, 2015. Amenábar pendurou as chuteiras por seis longos anos. Expectativas eram altas, ao menos para os fãs, quando anunciou o retorno ao gênero que lhe deu fama - o suspense. O resultado confirma o apuro visual do espanhol (a penumbra domina a fotografia), mas fica aquém da elegância narrativa de Os Outros e da inventividade da premissa de Tesis. A trama não passa de uma investigação policial rotineira, mesmo encorajando o público a refletir criticamente sobre histeria coletiva e o medo incutido pela mídia sensacionalista. Ethan Hawke defende seu papel com empenho; já Emma Watson não está à altura das exigências do seu. A reviravolta final agrega uma camada de sobriedade às preocupações temáticas de Amenábar, embora anticlimática, levando-se em conta tudo o que veio antes. 

Um comentário:

  1. Eu gostei um pouco mais. O roteiro explora outros fatores como pressão da mídia, religião e ânsia por solucionar um caso bizarro.

    Abraço

    ResponderExcluir