quarta-feira, 20 de janeiro de 2016

SICARIO - TERRA DE NINGUÉM (Denis Villeneuve/2015)

Um thriller disciplinado, belamente fotografado (por Roger Deakins), de temperamento frio, em harmonia com o estilo já notório do canadense Villeneuve. Tratando da resistência aos chefões dos cartéis mexicanos, o enredo - um bocado anódino, sobretudo se comparado aos densos longas anteriores do diretor - sugere que é preciso mover as fronteiras da lei e elastificar os códigos de ética, adentrando zonas cinzentas de atuação, a fim de equilibrar o cabo de guerra entre os traficantes e a Justiça. A sequência de abertura, impactante, talvez sjea o ponto alto do filme. Emily Blunt exprime uma crescente exasperação sob o semblante tranquilo de sua personagem. A música sorrateira de Jóhann Jóhannsson fortalece a atmosfera de perigo. [Info

Um comentário:

  1. O filme lembra no estilo um pouco "Traffic" de Steven Soderbergh.

    Gostei do estilo sóbria da narrativa. Foi uma forma de mostrar o violento submundo do tráfico se criar heróis, deixando claro que os dois lados jogam sujo.

    Abraço

    ResponderExcluir