sexta-feira, 4 de dezembro de 2015

O PREÇO DE UM RESGATE (Ron Howard/1996)

O Preço de um Resgate não aparenta ser uma produção classe A da nata hollywoodiana, apesar de os créditos sugerirem o contrário. Assistindo, dá para confundi-lo com uma fita caça-níquel anônima desovada direto nas locadoras. Howard viria a entregar obras mil vezes mais elaboradas visualmente (Uma Mente Brilhante, Rush, Anjos & Demônios) e bem escritas. O protagonista implora pela antipatia do público, optando por preservar sua imensa fortuna em vez de pagar o resgate exigido pelos sequestradores como moeda de troca pelo filho. O heroísmo cabeça-dura, típico de fitas comerciais fantasiosas, é indistinguível de um orgulho avarento agravado pelos maneirismos de Mel Gibson, todo olhos esbugalhados. Colocar em xeque a integridade física e a vida de uma criança - a prole - na tentativa de peitar criminosos representa um modo de proceder distinto de outros thrillers afins, mas a imprecisão dramática e a frouxidão ética minam o aproveitamento deste programa. [Info

Um comentário:

  1. Existe um desejo de dar um rumo improvável e fantástico a trama, que não convence em sua totalidade. Realmente Mel Gibson força a barra nessa atitude de colocar em perigo a integridade do filho, apenas para medir força com os sequestradores. Poderia ser melhor do que é.

    abraço

    ResponderExcluir