quarta-feira, 4 de novembro de 2015

O MAIOR ESPETÁCULO DA TERRA (Cecil B. DeMille/1952)

DeMille retrata os dramas pessoais, os relacionamentos e os desafios profissionais de artistas circenses de maneira melodramática. Entrementes, brinda o público com grandiosas atrações do espetáculo. O elenco estrelado merece admiração, assim como toda a área relativa a cenários, figurinos etc. A metragem considerável se faz sentir; fluidez não é um termo apropriado para qualificar a condução do diretor. Pode-se indagar a necessidade de um triângulo amoroso derivativo, embora não descarrile a narrativa. O acidente de trem fica na memória. Em suma, polêmicas a respeito do Oscar à parte, o filme tem seus altos e baixos e um brilho próprio, ainda que não ofuscante. [Info

Nenhum comentário:

Postar um comentário