segunda-feira, 12 de outubro de 2015

LÁGRIMAS DO CÉU (Anthony Harvey/1956)

Ameno e cômico, marcado pelo clamor romântico da protagonista solteirona, embora pontuado por momentos de solidão e desespero, o filme tem como mensagem a necessidade do indivíduo valorizar a si mesmo, cultivando o amor próprio, antes de desejar que outra pessoa a enxergue com respeito e admiração. Os cenários e fundos falsos de estúdio podem incomodar (ou encantar os nostálgicos), o histrionismo das performances exageradas de Burt Lancaster e Cameron Prud'Homme talvez irrite os ouvidos (apesar de propositais), a encenação engessada do diretor trai a origem teatral do material (mas o aspecto visual da produção agrada). Sob o risco de soar herético aos fãs daquela era, opino que se trata mais de uma curiosidade - devido ao elenco - do que de um verdadeiro clássico. [Info

Um comentário: