sábado, 12 de setembro de 2015

TARDE DEMAIS (William Wyler/1949)

Que tal observar uma solteirona na faixa dos 30, única herdeira de um senhor de posses, sorridente e ingênua envenenada pelo ressentimento até se tornar uma amarga sombra do que era antes? "A vingança nunca é plena, mata a alma e a envenena" - a não ser que a pessoa a empreendê-la já esteja ressecada por dentro. 

A premissa é incomum para um drama hollywoodiano pré-anos 50, época em que filmes medianos tendiam a se trivializar com romances açucarados forçados e finais felizes telegrafados à distância - clichês que o espectador não irá encontrar em Tarde Demais. Dos trabalhos mais elegantes de Wyler, situado quase inteiramente no interior de uma mansão, embora represente um desafio considerável de se digerir dada a natureza inclemente da trama. [Info

Um comentário: