sábado, 26 de setembro de 2015

INCÊNDIOS (Denis Villeneuve/2010)


A brutalidade da guerra impõe incerteza e irracionalidade às vidas das pessoas presas em seus tentáculos de destruição e ódio. Certos atos de assassínio e vingança decorrem uns dos outros, numa lógica perceptível de ação/reação; já outras atrocidades, de desumanidade indescritível e efeitos devastadores até para gerações seguintes, resistem a qualquer tentativa de racionalização. O roteiro desta fusão de drama e mistério explora a tragédia motivada por intolerância religiosa, alternando duas linhas de tempo e acomodando reviravoltas plantadas feito minas explosivas na trajetória dos personagens.

A direção austera de Villeneuve e o aspecto lustroso da fotografia limitam o alcance das paixões ideológicas e da espontaneidade emocional do relato, impondo às provações pretéritas da mãe e a atual jornada de autodescobrimento dos filhos um ar pouco convincente de tristeza determinista. A abordagem amaneirada (distanciada, rarefeita) entra em conflito com o âmago da história (comovente, chocante). O filme vale antes pelo conceito do que pela maneira como os realizadores o interpretaram, embora carregado de tamanha voltagem dramática que a recomendação se justifica. [Info

6 comentários:

  1. É o primeiro de muitos filmes interessantes de Denis Villeneuve, embora não me agradei em sua totalidade com o "O Homem Duplicado".

    abraço

    ResponderExcluir
  2. Para mim é excelente, achei o melhor dele até aqui.

    ResponderExcluir
  3. Preciso ver esse!!

    É um diretor que sempre vale dar uma conferida.

    abraço!

    -andré betioli

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se gosta do diretor, deve assistir, mesmo! Há quem considere seu melhor filme. :)

      Excluir