quinta-feira, 6 de agosto de 2015

A PIRÂMIDE (Grégory Levasseur/2014)

Os primeiros 30 minutos prometem mistério, desorientação sensorial e medo. Dá ares de seguir a cartilha de filmes de horror subterrâneo-labirínticos como Assim Na Terra Como no Inferno e The Borderlands. Mesmo a perspectiva se alterna entre a gravação clássica em terceira pessoa e feeds de material gravados pelos personagens. Pena que não demora antes de a receita desandar, implodindo num desgastado jogo de gato-e-rato entre humanos (irritantes e interpretados por um elenco inapto) e monstros (porcamente gerados em computação gráfica). A partir daí, a tensão começa a escoar pelo ralo junto de qualquer espaço deixado para a imaginação. [Info

2 comentários: