terça-feira, 28 de julho de 2015

O LOBO DE WALL STREET (Martin Scorsese/2013)

Uma biografia excessiva, descontrolada e de mau gosto para ilustrar os excessos, os descontroles e o mau gosto de homens cujo caráter é empenhado exclusivamente em ganhar rios de dinheiro às custas da boa-fé de terceiros. Chega-se à conclusão que Scorsese, cheio de ousadia e vitalidade apesar dos mais de 70 anos nas costas, optou pela coerência ao trabalhar o material que tinha em mãos, evitando dele se distanciar para julgar os personagens ou cair na tentação de dar uma lição de moral na plateia. Uma espiral ladeira abaixo rumo à depravação, sob a aparência de entrega total ao prazer hedonista, abastecida à ganância  acumuladora de riqueza. 

Há quem ria com os retratados, admirando-os, até invejando-os. Prefiro rir deles. A propósito, alguém já se perguntou como seria possível criar uma comédia eficaz com três horas de duração? Eis a resposta. [Info

2 comentários:

  1. As 2 primeiras horas passam muito rápidas e são muito divertidas. A hora final do filme que dá uma segurada e é justamente a hora do soco no estômago da realidade hehehe

    ResponderExcluir
  2. É mais um grande filme de Scorsese, muito bem auxiliado pelos ótimos desempenhos de DiCaprio, Hill e até a na pequena participação de McConaughey.

    Abraço

    ResponderExcluir