terça-feira, 19 de maio de 2015

O DESTINO DE JÚPITER (Andy & Lana Wachowski/2015)

Com diálogos banais de função expositiva capazes de enrubescer detratores de George Lucas e Christopher Nolan, esta fantasia romântica grandiloquente só teria a ganhar caso fosse muda e dependesse totalmente da sua estética colorida e do ritmo frenético de videogame nas barulhentas cenas de ação. Outro ponto a minar a consistência do conjunto é o aparente desinteresse de Mila Kunis no papel principal. Impossível deixar de notar que os Wachowski parecem saudosos dos tempos em que space operas para garotos e garotas não tinham um pingo de cinismo ou autoconsciência - nesse sentido, apesar do orçamento elefantino e das tecnologias digitais de ponta empregadas, Júpiter faz questão de ostentar uma curiosa faceta retrô. [Info] ★★★

Um comentário: