quarta-feira, 29 de abril de 2015

LARANJA MECÂNICA (Stanley Kubrick/1971)

Não sendo um crítico profissional com domínio da terminologia específica, falta-me o vocabulário para descrever o quão estimulante e original é o trabalho de Kubrick em termos puramente formais, leia-se, no uso de cortes, música mesclando o clássico e o sintetizador, angulações de câmera etc. 

Na condição de espectador, entretanto, não há por que deixar de comentar a substância que dá sentido à obra: uma crítica à hipocrisia inerente à violência despersonalizada, institucionalizada avocada pelo Estado para "corrigir" indivíduos criminosos. Lastreado em Burgess, Kubrick ironicamente posiciona tanto as vítimas das atrocidades cometidas por Alex DeLarge quanto o próprio delinquente como pessoas vulneráveis, esmagadas pela brutalidade, embora vinda de fontes diferentes - uma da conduta social desviante de um cidadão comum, outra do braço armado estatal, sancionada por lei. 

O filme evita soluções fáceis, o que talvez decepcione proponentes do abolicionismo penal e iluda punitivistas ferrenhos. [Info] ★★★★★

Um comentário:

  1. um dos melhores filmes do kubrick e da história do cinema!

    a música clássica é usada de uma maneira brilhante.

    ResponderExcluir