quarta-feira, 18 de março de 2015

O HOMEM DAS SOMBRAS (Pascal Laugier/2012)

Este filme é o que anglófonos chamariam de shapeshifter: começa assim, transforma-se lá pela metade e termina assado. Faz com que o público se pergunte várias coisas enquanto assiste: quem é o tal "homem alto" sequestrador de crianças? Uma entidade sobrenatural ou um criminoso comum? Os habitantes da cidade parecem ter algo a esconder; a protagonista também? Opa, agora fulano foi revelado como vilão, será que sicrano passa a ser vítima? 

O roteiro aplica sucessivas rasteiras, evitando que o tédio se instale, apesar de o diretor ter diluído sua capacidade de causar impacto se comparado ao ultrajante Mártires. Na sua primeira incursão no mercado americano, Laugier deixou-se levar pelo artificialismo (da produção) e anonimato (do estilo). Embora O Homem das Sombras tenha uma subcelebridade encabeçando o elenco, enredo movimentado, sanguinolência mínima e até um esboço de questionamento ético sobre justiça social remanescente de Medo da Verdade, a experiência que oferece nunca passa do medíocre. [Info] ★★

Nenhum comentário:

Postar um comentário