sexta-feira, 6 de março de 2015

DE VOLTA AO JOGO (Chad Stahelski/2014)


Compêndio de clichês de thrillers sobre assassinos aposentados fruindo de uma existência doméstica pacífica, obrigados a retomar a "carreira" em busca de vingança pela injustiça cometida contra um ente querido. Premissa, personagens e estilo repetem atributos que já eram derivativos quando O Troco e A Identidade Bourne invadiram os multiplexes mais de uma década atrás. Embora pertencentes a outro gênero, lembranças de Os Imperdoáveis e Josey Wales - O Fora da Lei também conspiram para a sensação de fadiga no ramerrame de Stahelski.

John Wick, genérico desde o título, há de ter sido projetado visando à satisfação dos entusiastas desse tipo específico de fita de ação. Para eles, a matança brutal, os vilões estrangeiros, as traições de aliados, as alusões ao passado misterioso do protagonista, as lembranças da vida familiar idílica antes da tragédia e o semblante marrento do lacônico Keanu Reeves - capturados pelas câmeras com máxima sofisticação fotográfica e aquela indispensável, deliberada aura cool - bastam para sustentar o interesse por 100 minutos. O restante do público talvez fique indiferente ao dèjá-vu. [Info] ★★

2 comentários:

  1. As sequências de ação são bem legais, focadas mais no corpo a corpo e nos tiros do que em efeitos especiais.

    É uma diversão passageira competente.

    Abraço

    ResponderExcluir
  2. confesso que o filme me contagiou, apesar dos cliches. aquela cena na casa noturna é ótima!

    ResponderExcluir