segunda-feira, 23 de fevereiro de 2015

O JOGO DA IMITAÇÃO (Morten Tyldum/2014)

Ser diferente - social, sexual, intelectualmente etc. - garante apenas um restrito leque de reações: rejeição, perseguição e ostracização, por exemplo, inclusive por parte de quem se beneficia dos esforços de, digamos, um gay antissocial cujas habilidades matemáticas ajudaram a encurtar a II Guerra Mundial em cerca de dois anos e dar a gênese ao que hoje chamamos de computadores. 

De abordagem convencional e respeitosa, narrativa agilmente estruturada em três linhas temporais, eficiente tanto como estudo de personagem biográfico quanto drama histórico sobre os bastidores da guerra, O Jogo da Imitação não esconde o apelo em prol da tolerância. Os eventos nos quais se baseia justificam o discurso de que a opressão imposta na defesa de uma suposta "normalidade" pode privar o mundo não só do progresso, mas também da paz. [Info] ★★★

Um comentário:

  1. É um ótimo filme. Cumberbatch dá um show, mesmo que apresente trejeitos de personagens como Sherlock. Filme envolvente e divertido. Mereceu o Oscar de Roteiro Adaptado.

    http://filme-do-dia.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir