quarta-feira, 18 de fevereiro de 2015

O DESPERTAR (Nick Murphy/2011)

Indicado para quem valoriza suspenses em que a construção paciente de uma atmosfera enervante ganha precedência sobre sustos baratos. Produção britânica elegante, não deixa os impressionantes cenários engolirem os personagens, defendidos com dignidade por intérpretes que pouco se aventuraram no gênero como Rebeca Hall e Imelda Staunton. 

O apelo está em ver uma escritora cética, assombrada pela morte do marido na I Guerra, perita em desmascarar fraudes do além-túmulo, questionar a própria sanidade ao encarar o desafio de um remoto internato para garotos onde aparições fantasmagóricas têm sido relatadas pelos alunos. A discrição predominante cede lugar para duas reviravoltas histéricas no final, embora não malsucedidas o suficiente para manchar a competência do que aconteceu antes. [Info] ★★★

Nenhum comentário:

Postar um comentário