terça-feira, 10 de fevereiro de 2015

A ENTREGA (Michaël R. Roskam/2014)

Desde os minutos iniciais vê-se que a produção é caprichada - fotografia soturna, câmera elegante, ritmo contido, atores confiáveis (Tom Hardy, James Gandolfini). A ambientação (Brooklyn, Nova York) e o recorte social (trabalhadores do colarinho azul, gângsteres) trazem lembranças de incontáveis outros títulos assemelhados, do mesmo modo que dilema do protagonista também soa familiar - homem decente de passado obscuro busca tocar a vida apesar da má influência dos comparsas. 

No geral, tanto o roteirista Dennis Lehane - adaptando um livro de sua autoria - quanto o diretor Roskam cumprem as respectivas funções com evidente proficiência. Por isso chega a ser paradoxal criticar o conjunto da obra pela insipidez. O que guardava potencial para um suspense poderoso ou estudo de personagem esclarecedor acaba engessado pelo excesso de "correção". Assiste-se a A Entrega carente de emoções fortes, surpresas, descobertas. A trama não mostra a que veio, falhando em convencer de que merecia ter sido transposta à telona. Representa o medíocre à perfeição, equidistante da ruindade e da excelência. [Info] ★★★

2 comentários:

  1. Dos filmes baseados nas obras de Dennis Lehane, este é o mais fraco, mesmo não sendo ruim.

    Realmente faltou emoção.

    Abraço

    ResponderExcluir
  2. Gustavo, só pelo fato de ser o último filme de James Gandolfini já me dá vontade de assistir. Quando chegar na locadora! ;-) Devido a seu comentário não creio que valha uma ida ao cinema.

    ResponderExcluir