sexta-feira, 2 de janeiro de 2015

UM CRIME DE MESTRE (de Gregory Hoblit/2007)

xrddfgdgf

Acredita-se que cabe apenas aos críticos profissionais objetar contra produções formulaicas, medíocres. Não deveria ser assim.

Embora Hoblit tenha conseguido tornar Fracture um entretenimento inofensivo, moderadamente agradável de assistir, não há espaço para outra reação além do esquecimento instantâneo. Se nenhuma cena específica fica retida na memória é por culpa do diretor – incapaz de elaborar imagens interessantes, a mão frouxa falhando nas tentativas de criar tensão. Problemas perceptíveis desde As Duas Faces de um Crime, opaco drama de tribunal, com a vantagem de ter uma trama engenhosa.

Se o embate psicológico entre Richard Gere e Edward Norton prendia a atenção o suficiente para servir de contrapeso ao anonimato de Hoblit, aqui Ryan Gosling mostra bom serviço enquanto Anthony “Hannibal Lecter” Hopkins engata o piloto automático. O que falta para motivar o genial ator que, nos anos 90, se eternizou com O Silêncio dos Inocentes, Nixon, Vestígios do Dia e Amistad? Piscadelas ensaiadas, olhares penetrantes, voz suave e sinistra viraram recursos desgastados, um déjà vu de maneirismos. [Info] ★★

2 comentários:

  1. É um filme mediano, que desperdiça bons coadjuvantes como David Straithairn e Rosamund Pike.

    Abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nem me lembrava que esse dois intérpretes integram o elenco do filme!

      Excluir