quarta-feira, 24 de dezembro de 2014

RASTROS DE ÓDIO (John Ford/1956)


O que impede o protagonista de cruzar a soleira de uma porta aberta, lar adentro, como se fosse indigno da acolhida?

Ethan Edwards (John Wayne) percorre o Oeste numa busca obsessiva pela sobrinha raptada por indígenas, movido por razões aparentemente altruístas que depois revelam uma complexidade insuspeita.

A ambígua inquietude de Edwards poderia se esgotar num pormenor aleatório de caracterização nas mãos de um roteirista inferior. Seria o quê – ódio aos pele-vermelhas, amor proibido pela esposa do irmão, o caráter corrompido?

A sucessão de gestos contraditórios no desfecho, referentes a uma possível mudança na bússola moral de Edwards, permanece aberta ao escrutínio de múltiplos pontos de vista, dividindo o público entre aqueles que consideram esta uma obra-prima revisionista e os que nela veem uma reafirmação bronca do preconceito contra nativos impregnado no histórico do gênero. [Info] ★★★★★

Nenhum comentário:

Postar um comentário