domingo, 7 de dezembro de 2014

QUESTÃO DE HONRA (Rob Reiner/1992)


Advogados, juízes, tribunais, audiências, julgamentos. O Poder Judiciário tende a dar sono enquanto objeto cinematográfico. O público o associa a filmes verborrágicos, estáticos. Rob Reiner rompe expectativas negativas ao se apropriar da base escrita eletrizante de Aaron Sorkin, encenando debates capazes de estremecer o chão.

O arco percorrido pelo personagem de Tom Cruise é conhecido: jovem arrogante, à sombra do falecido pai, envolve-se num caso espinhoso que o fará amadurecer. Semelhante familiaridade não pode ser dita da ferocidade injetada nas discussões jurídico-militares e na sagacidade loquaz de um simples tête-a-tête, cujo pique mantém-se na estratosfera graças a coadjuvantes notáveis (Jack Nicholson, Kiefer Sutherland, J.T. Walsh) que metralham diálogos como balas incandescentes em direção ao oponente.

Sorkin e Reiner problematizam os extremos legalmente defensáveis de normas militares extraoficiais e questionam sua validade quando afrontam valores basilares da instituição. [Info] ★★★★

Nenhum comentário:

Postar um comentário