segunda-feira, 29 de dezembro de 2014

O SALMO VERMELHO (Miklós Jancsó/1971)

Camponeses húngaros, no final do século XIX, protestam pacificamente contra donos de terras, policiais rurais e autoridades religiosas - figuras instrumentais à perpetuação do seu status de explorados. A resistência estoica, fomentada pelo clamor de ideais socialistas dos oprimidos, é representada por meio de movimentação coreografada, em locações abertas, articuladas por canções de cunho político-ideológico e danças folclóricas que enfatizam a organização grupal. Uma obra de encenação ritualística onde o naturalismo/realismo cedem a vez para o simbólico. [Info] ★★★

Um comentário:

  1. Um dos diretores que mais fez uso belo e coreografado do plano-sequencia e da limitação de conhecimento da história ao momento e local em que se encontram os personagens.

    ResponderExcluir