terça-feira, 23 de dezembro de 2014

O MESTRE (P.T. Anderson/2012)


A certa altura, Freddie Quell (Joaquin Phoenix) é instado por um psicólogo da Marinha a resolver um teste de Rorschach. Cena apropriada para guiar o espectador neste filme de imagens sugestivas, temporalidade vaga, estrutura episódica, personagens de intenções e temperamentos elusivos, final aberto.

Freddie vê sexo nos borrões de tinta; perturbado mental e alcoólatra, instintivo, movido a desejo carnal e agressão. O errático veterano da II Guerra, no entanto, se destaca como a única figura honesta, diferente do pretensioso charlatão Lancaster Dodd (Philip Seymour Hoffman), marido da loba em pele de cordeiro Peggy (Amy Adams).

Temerário reduzir os sinais emitidos por O Mestre a mensagens de autoajuda, mas percebe-se que Freddie precisa mergulhar em sua alma revolta para encontrar a raiz das frustrações a assolá-lo e depois traçar o próprio caminho, em vez de dizer amém a filosofias enganosas ou deixar-se levar a esmo pela sorte. [Info] ★★★★★

2 comentários:

  1. O trio principal tem belas atuações, com destaque para o trabalho psicológico e corporal de Joaquin Phoenix.

    Revisitando os trabalhos de Philip Seymour Hoffman, vemos que ele foi um dos maiores atores surgidos nos últimos vinte anos. Sua morte prematura foi uma perda irreparável para o cinema.

    Abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim. É até desagradável lembrar. Uma perda enorme. Ao menos deixou um belo legado.

      Excluir