terça-feira, 9 de dezembro de 2014

HALLOWEEN – O INÍCIO (Rob Zombie/2007)


Este Halloween do século XXI transcende o rótulo de mera refilmagem. Zombie pega os contornos gerais do clássico e os expande, individualizando sua versão.

A supressão de explicações racionais para o comportamento homicida do pequeno Michael Myers era um dos ingredientes decisivos de Carpenter. Aquela inescrutável figura mascarada corporificava o Mal. Zombie descarta o fator enigmático da equação. O suspense acaba diluído, mas há um ganho em intensidade emocional, permitindo uma ligação inédita com Myers, Dr. Loomis e Laurie Strode.

A  “psicologização” do assassino ocupa a parte inaugural da projeção, contextualizada num ambiente doméstico cuja disfunção prejudica a formação do caráter do precoce torturador de animais (e protótipo de psicopata). A maestria de Carpenter na cadeira de diretor não é igualada por Zombie. Ainda assim, a substância material do aprendiz merece tanta atenção quanto o formalismo preciso do veterano. [Info] ★★★★★

2 comentários:

  1. Esta refilmagem é surpreendente, mesmo não tendo a maestria de Carpenter como você citou, Rob Zombie fez é um ótimo terror.

    Abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Surpreende-me alguém também gostar do filme. Isso é algo bem raro!

      Excluir