sexta-feira, 26 de dezembro de 2014

EXPRESSO DO AMANHÃ (Bong Joon-ho/2013)

zdfguiu656765rrtyr

Snowpiercer se desevolve na tela como uma FC distópica de tirar o fôlego, de ímpeto equivalente à locomotiva-título que perfura blocos maciços de gelo em alta velocidade. Há ação coreografada e violência impactante para quem gosta. Não se resume a isso. A exemplo dos melhores do gênero, apropria-se do fantástico para iluminar questões humanas relevantes.

Seguindo a deixa de Alien – O Oitavo Passageiro, o ambiente claustrofóbico é parte integrante da essência do filme. Todo um microcosmo sociopolítico ganha corpo ao longo dos numerosos vagões daquele trem, da cauda à cabine de comando. A exploração dos pobres pelos ricos, as mentiras fabricadas a fim de perpetuar o status quo, o ímpeto revolucionário dos oprimidos, a manutenção do poder via retomada dos meios de subsistência (alimentos, água, energia, armas etc). A formatação cenográfica determina, numa só tacada, o avançar narrativo e a substância temática.

Snowpiercer talvez aborreça impacientes e aliene conservadores devido à abundância de diálogos extensos e bizarrices deliberadas – vide a caricatura cômica de Tilda Swinton, o histérico interlúdio no vagão escolar, o derradeiro confronto anticlimático: realismo não é palavra-chave nesta produção. Inconfundível a assinatura de Boon-ho, responsável por Memórias de um Assassino e Madeo, thrillers igualmente idiossincráticos.

Em début internacional, o autor sul-coreano reteve o espírito de sua arte asiática em vez de render-se a convenções diluidoras, apesar do predomínio do inglês, dos efeitos especiais ambiciosos e do protagonismo de Chris Evans. [Info] ★★★★★

2 comentários:

  1. Assisti a esse filme sem a menor ideia do que esperar. Eu fiquei pasmo com o resultado, pois não imaginava a força que tinha. Ótima resenha!!

    abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também adorei o filme, mas já tinha expectativas altas por causa do diretor - e ele não decepcionou!

      Excluir