quinta-feira, 6 de novembro de 2014

SOMBRAS DE GOYA (Milos Forman/2006)

Segundo Forman e Jean-Claude Carrière, a opressão - seja em nome da fé, da razão, da ordem política - resulta em morte e insanidade. A ironia, corroborada pela História, é testemunhar espanhóis dizimados pelo obscurantismo da Santa Inquisição para depois caírem nas garras da imposição à base de sangue dos ideais iluministas ("igualdade, liberdade, fraternidade"). Forman expõe os efeitos das contradições do poder institucionalizado na integridade física e convicções do indivíduo. O diretor emprega um relato tradicional que facilita a identificação do tema, o que não o torna menos interessante. [Info] ★★★

2 comentários: