domingo, 9 de novembro de 2014

PLANETA DOS MACACOS: A ORIGEM (Rupert Wyatt/2011)


“O vale da estranheza é uma hipótese no campo da robótica e da animação 3D [...] quando réplicas humanas se comportam de forma muito parecida — mas não idêntica — a seres humanos reais, elas provocam repulsa entre observadores humanos”, de acordo com a Wikipédia. Transpô-lo configura uma atual cruzada dos profissionais da computação gráfica, objetivando fazer o público acreditar em trucagens que recriem digitalmente uma existência naturalística.

Basta substituir ‘pessoas’ por ‘símios’ na definição acima, acrescentando a suspeita de sucesso no desafio técnico, para chegar a Planeta dos Macacos: A Origem, paradigmático exemplar de CGI (um instrumento) plenamente integrado à história (o cerne). Diversas cenas levantam a dúvida: seriam aqueles animais adestrados ou milhares de 0s e 1s complementados por textura e animação perfeitas?

O filme teria chances de atingir a grandeza caso Wyatt lhe impusesse um estilo distinto da narrativa-padrão. César e seus acólitos peludos permanecem gravados na memória, assim como a previsibilidade e a relativa impessoalidade da aventura que protagonizam. [Info] ★★★

Nenhum comentário:

Postar um comentário