segunda-feira, 24 de novembro de 2014

O SUBSTITUTO (Tony Kaye/2012)


Distanciar-se do mundo, erguer uma barreira de indiferença ao redor, congelar-se emocionalmente são estratégias defensivas incapazes de remediar a angústia. Por mais amarga que esteja a vida, ainda que não visível uma saída imediata, a simples decisão de se permitir importar com os outros representará um primeiro passo rumo à luz no fim do túnel. Quem sente, reage e aprende.

Pertence a alguma minoria? Mal amado pelo par? Negligenciado pelos pais? Desprezado pelos colegas? Pobre? Sabotado pelo “sistema”? A sensação de injustiça abre caminho à raiva que, se não canalizada para uma válvula de escape específica, surte efeitos contraprodutivos. Violência, apatia, solidão, desesperança – fatores que jamais serão erradicados. Podem ser mitigados, de modo paliativo, temporário. É o possível (realista), embora não o desejável (utópico). Deve-se ter em mente que inexistem garantias. Felicidade absoluta pertence a contos de fadas. [Info] ★★★★

Nenhum comentário:

Postar um comentário