domingo, 16 de novembro de 2014

INSTINTO SELVAGEM (Paul Verhoeven/1992)


Eterno provocador, Verhoeven incendeia a telona com a química sexual entre Michael Douglas e Sharon Stone, coreografando minuciosamente o encontro de olhares, a comunicação corporal, a tensão causada pela desconfiança e atração mútuas. Não obstante esse trunfo nada desprezível, é na condição de jogo psicológico de gato-e-rato que o filme brilha. O detetive parece ir ao encontro da própria ruína ao se permitir enredar na teia de sedução armada pela romancista suspeita. O embate de esperteza entre opostos que se atraem, a linha borrada a distinguir caçador da caça lembra uma dança ritualística de morte, rendendo tanto mistério quanto a espera pela resposta sobre a identidade da expert em manusear picadores de gelo para assassinar amantes.

A música lânguida de Jerry Goldsmith evoca o desejo carnal e a dubiedade que compõem o elo forjado entre os protagonistas, ao passo que a edição de Frank J. Urioste faz os ânimos do público escalarem a níveis adrenalinescos. [Info] ★★★★★

Nenhum comentário:

Postar um comentário