segunda-feira, 17 de novembro de 2014

ESPELHO, ESPELHO MEU (Tarsem Singh/2012)

Reimaginação em carne-e-osso do conto de fadas, mais cômica (e sexualizada) do que a clássica animação da Disney. O humor é físico, escrachado, peso-pena; conjugado à despretensão de Singh, dedicado apenas a entreter crianças, acaba conquistando de tiracolo espectadores de outras faixas etárias dispostos a relaxar curtindo um entretenimento assumidamente bobo. Pontos para o elenco – que entrou no espírito circense do projeto – e a exuberância cenográfica, marca registrada de uma obra assinada por Tarsem. [Info] ★★★★

Nenhum comentário:

Postar um comentário