sábado, 1 de novembro de 2014

ABRAÇOS PARTIDOS (Pedro Almodóvar/2009)

O enredo costurado por vaivêns cronológicos permite que Almodóvar investigue laços afetivos amorosos e familiares, desfeitos ou ocultos. O pano de fundo coincide com aquele por meio do qual o diretor garante a subsistência: escritores, atrizes, cinema. As digitais do espanhol marcam presença nos cenários policromáticos, na sexualidade ativa, no olhar perceptivo reservado às mulheres, na figura masculina abusiva, no gay penalizado. O único traço destoante é a frieza do relato, inesperada partindo de Almodóvar, via de regra apaixonado e exuberante. [Info] ★★★

Nenhum comentário:

Postar um comentário