quinta-feira, 20 de novembro de 2014

A SALA DE MÚSICA (Satyajit Ray/1958)


Clássico indiano estruturado a partir das recordações do protagonista, um senhor feudal decadente e solitário. Huzur Biswambhar Roy (Chhabi Biswas) gasta longas horas no terraço, imerso nas memórias de um glorioso passado regado a música e dança. Era orgulhoso, gastador. Ao filho dedicava atenção; à esposa, insensibilidade; ao vizinho novo-rico, competitividade. Carrega agora uma enorme culpa por um acontecimento trágico que afligiu sua família.

Internalizado e evocativo, Ray aborda o choque entre o tradicional e o moderno naquela região da Índia no final dos anos 1920, por meio do velado antagonismo entre o “aristocrata” cuja figura está saindo de moda e o “burguês” em ascensão (antecipando O Leopardo, de Visconti), dos automóveis que se destacam entre os elefantes e cavalos pertencentes a Roy, assim como da eletricidade a tornar obsoletos os imponentes lustres a vela. [Info] ★★★

Nenhum comentário:

Postar um comentário