quarta-feira, 29 de outubro de 2014

QUE O CÉU A CONDENE (Irving Rapper/1946)

Obscuro veículo de Bette Davis dos anos 40. Apresenta tantas virtudes que chega a surpreender. Irving Rapper condiciona a câmera na intensidade de olhares, na motivação dissimulada sob determinadas falas. A tensão reside em desconfianças, mentiras e ameaças, diante das quais as maquinações do enredo ficam em segundo plano. Pérfido, Claude Rains rouba a cena, algo espantoso haja vista a diva que encabeça o elenco. Noir matrimonial contextualizado no universo da música erudita. [Info] ★★★★

Nenhum comentário:

Postar um comentário