quarta-feira, 8 de outubro de 2014

O JOGADOR (Robert Altman/1992)

“Metafilmes” podem ter a receita desandada caso exagerem na dose, incomodando o público feito um sabichão enamorado da própria esperteza. Altman não se permitia levar por pedantismos. Confiava na inteligência da plateia, em vez de adotar uma postura condescendente. Imprimindo um cinismo cortante a um whodunit cômico situado no coração de Hollywood, onde executivos canalhas ignoram o significado da palavra ‘arte’, o diretor desmonta uma miríade de clichês enquanto faz uso dos mesmos na cara dura. [Info] ★★★★

Nenhum comentário:

Postar um comentário