sexta-feira, 3 de outubro de 2014

O FANTASMA DA ÓPERA (Joel Schumacher/2004)


As portentosas notas de Andrew Lloyd Webber exprimem o encanto da “música da noite”, composta e entoada, na trama, pelo atormentado de máscara cujo codinome intitula dezenas de adaptações prévias baseadas no livro de Gaston Leroux ou na peça teatral do próprio Webber. A lamentar, portanto, que as imagens caoticamente organizadas pelo editor Terry Rawlings – apesar da produção luxuosa – empalideçam quando comparadas ao feitiço das canções que embalam o público num romantismo eletrizante, sombrio. Malgrado a pouca finesse do errático Schumacher, é difícil conter as lágrimas perante o destino reservado aos integrantes do triângulo amoroso gótico. [Info] ★★★★

Nenhum comentário:

Postar um comentário