sexta-feira, 31 de outubro de 2014

O ÁLAMO (John Wayne/1960)

Wayne, diretor, organiza com proficiência os elementos de cena e compõe tomadas que aproveitam a extensão da tela larga. Faltou autocontrole na sala de edição: pontos mortos entre cenas-chave privam o filme de um clímax poderoso. O texto aposta em discursos inflamados sobre república, liberdade, dignidade – para o aborrecimento de antiamericanos, acostumados a confundir tais conceitos e pregação patriótica. Ocorre que roteiro aos antagonistas reserva devido respeito; mexicanos e negros são retratados sem a condescendência esperável de um blockbuster hollywoodiano das antigas tutelado por Wayne, dono de reputação politicamente reacionária.

Trilha memorável de Dimitri Tiomkin. [Info] ★★★

Nenhum comentário:

Postar um comentário