domingo, 19 de outubro de 2014

IRMÃS DIABÓLICAS (Brian De Palma/1973)

Em Sisters adormece um grande filme, prejudicado pelo humor desajeitado (ao contrário dos futuros Dublê de Corpo e Síndrome de Caim); tentativas de acumular tensão que, mesmo apoiadas por Bernard Herrmann, não fazem acelerar os batimentos cardíacos; Margot Kidder, com sotaque francês, manhas e biquinhos, irritante. Imperfeições à parte, De Palma acomoda considerações relativas a voyeurismo, liberdade feminina, paralelismo narrativo, a destruição do fálico e à (in)divisibilidade da psique e o físico. [Info] ★★★

Nenhum comentário:

Postar um comentário