segunda-feira, 20 de outubro de 2014

CONTATOS IMEDIATOS DO TERCEIRO GRAU (Steven Spielberg/1977)


“O Sol saiu no meio da noite e cantou para mim”.
Isto significa alguma coisa. Isto é importante”.

Talvez o mais original e evocativo de Spielberg, o filme aborda signos, associações, visões, significados. Figurativamente, trata da comunicação estabelecida entre o espetáculo cinematográfico e o público que, fascinado, se permite arrebatar.

Como no vindouro E.T., ainda que por outros motivos, o protagonista atravessa uma crise familiar, sucumbindo à solidão. O diferencial de Roy Neary (Richard Dreyfuss) reside no fato de ele abandonar a família esfacelada para empreender uma busca por algo maior, desconhecido, movido à necessidade de estar cara a cara com o fantástico. Cada polegada de celuloide carrega o DNA autoral de Spielberg, encarregado do roteiro após a demissão do primeiro escriba, Paul Schrader.

O diálogo musical de humanos e amigáveis visitantes intergaláticos merece figurar em dicionários ilustrados para exemplificar os verbetes “genial” e “antológico”. Não à toa, um favorito dos ufólogos. [Info] ★★★★★

Nenhum comentário:

Postar um comentário