sábado, 25 de outubro de 2014

BATMAN BEGINS (Christopher Nolan/2005)

A interpretação ‘adulta’ de Nolan favorece a caracterização de personagens e respectivos arcos transformativos, aprofunda a maneira da plateia enxergá-los – próximos de gente verdadeira, em vez de arquétipos exuberantes. É possível compreender a gravidade dos perigos aos quais Bruce Wayne se sujeita, as consequências da decisões por ele tomadas, como teve o caráter moldado pelo passado. 

Mesmo fantasioso por natureza, Batman Begins cria a ilusão de verossimilhança, longe da infantilidade predominante nos episódios cometidos por Joel Schumacher. Ao contrário de Tim Burton, porém, em 2005 Nolan não havia se consagrado um criador de imagens inspirado (embora esteja evoluindo a passos largos no quesito, bastando olhar para O Cavaleiro das Trevas e A Origem), apostando na densidade do texto e funcionalidade da montagem. [Info] ★★★★

Nenhum comentário:

Postar um comentário