segunda-feira, 27 de outubro de 2014

A SEPARAÇÃO (Asghar Farhadi/2011)

Farhadi investiga o peso moral da verdade e da mentira, os contrastes de sexo e classe da população iraniana, a opacidade da Justiça fundada na religião. A mise-en-scène mantém personagens apartados no mesmo espaço, a fluidez da montagem viabiliza a tensão, o final é deixado em aberto. Controlado, discreto, denso, favorece a apreensão seca em detrimento de lágrimas forçadas.

Desacostumados a encarar lançamentos não-americanos precisam entender que, embora pertença ao circuito de ‘arte’ e venha do Irã, A Separação apresenta uma linguagem acessível preocupada com questões humanas, universais, cuja compreensão independe de localização geográfica. [Info] ★★★★

Nenhum comentário:

Postar um comentário