segunda-feira, 20 de outubro de 2014

A CONQUISTA DO OESTE (George Marshall, Henry Hathaway, John Ford/1962)

A Conquista evoca a imagem de um trem imponente, convencido da própria importância, descarrilado: longuíssimo (estufado com overture e entr’acte), arrastado, episódico, cheio de pontos mortos (o segmento de Gregory Peck é uma cura para a insônia). Rodado no processo Cinerama, fica estranho num televisor, exibindo marcas divisórias e distorções. De memorável, a trilha portentosa de Alfred Newman e pontuais injeções de adrenalina envolvendo corredeiras, búfalos e combates em locomotivas. [Info] ★★

Nenhum comentário:

Postar um comentário