segunda-feira, 22 de setembro de 2014

ZELIG (Woody Allen/1983)

Mockumentary movido à típica verve “alleniana”, com direito a depoimentos de intelectuais interpretando a si mesmos. A premissa, inusitada, faz troça de neuroses e distúrbios de personalidade sofridos pelo camaleônico protagonista que apelida o filme. A fotografia monocromática de textura envelhecida e as trucagens visuais chamam a atenção. No entanto, por causa do tratamento distanciado reservado ao falso biografado, proveniente da estrutura documental, resulta menos engraçado do que o esperado, apesar da afável presença de Mia Farrow. [Info] ★★★★

Nenhum comentário:

Postar um comentário