terça-feira, 23 de setembro de 2014

TRANSFORMERS: O FILME (Michael Bay/2007)


Bay, aos olhos dos arautos do apocalipse cinematográfico, personifica a epítome dos vícios que infantilizam as oferendas de amplo alcance demográfico comercializadas por Hollywood. O ex-clipeiro nunca primou pela "profundidade"intelectual – tampouco dela necessitou para cumprir seu cargo de tarefeiro confeccionador de brinquedos caríssimos, cheios de atrativos de última geração visando à fatia jovem do mercado.

O roteiro tende a ser o última elemento valorizado num film by Michael Bay, e das primeiras a receber estocadas virulentas da crítica. Nos casos de Armageddon e Pearl Harbor, com justiça. Não no de Transformers. O time de escribas partiu de um fiapo de argumento (uma linha de brinquedos! Uma série animada dos anos 80!) e o expandiu, comportando um enredo elástico o suficiente para sustentar embasbacantes 142 minutos. Injetou uma saudável dose de personalidade ao mocinho de LaBeouf e até individualizaram as gigantescas máquinas alienígenas saídas das CPUs da IL&M.

A leveza de tom, a comicidade rasgada, a energia hiperbólica e o absurdo confesso, ao invés de empobrecê-la, ajudam a tornar esta aventura sensacional uma das mais divertidas a sair dos fornos populistas de Hollywood. [Info] ★★★★★

Nenhum comentário:

Postar um comentário