segunda-feira, 15 de setembro de 2014

O EXTERMINADOR DO FUTURO – A SALVAÇÃO (McG/2009)

Que peso carregar na consciência por criarmos os agentes da nossa própria aniquilação? Quais conflitos existenciais travaria um ser mezzo humano, mezzo artificial ao se inteirar de sua natureza? Como mensurar a responsabilidade da condição auto-atribuída de pequenos deuses da vida artificial e de trazedores da morte dos semelhantes? O que faz de nós humanos?

O roteiro desperdiça o potencial dessas indagações, privilegiando malabarismos digitais coordenados sem inspiração nem primor por McG. O resultado é perdoável como entretenimento rasteiro, embora se contente em permanecer aquém do potencial da premissa visionária formulada por James Cameron. [Info] ★★

Nenhum comentário:

Postar um comentário